Novos
Share |

CB 1000 R MY21

CB 1000 R MY21

Informação Adicional

Motor Tetracilíndrico em linha, DOHC, arrefecimento por líquido
Cilindrada 998 cm³
Potência Máxima 107 kW às 10.500 rpm
Binário Máximo 104 N·m às 8.250 rpm
Alimentação PGM-FI
Depósito de Combustível 16,2 Litros
Embraiagem Embraiagem húmida, discos múltiplos
Caixa de Velocidades 6 velocidades
Transmissão Final Por corrente
Quadro Quadro monotrave em aço
Dimensões 2.120 mm x 789 mm x 1.090 mm
Altura do Assento 830 mm
Peso em ordem de Marcha 212 kg
Suspensão frente Forquilha Showa SFF-BP USD
Suspensão retaguarda Monoamortecedor Showa (131 mm de curso)
Pneu Frente 120/70 ZR17
Pneu Retaguarda 190/55 ZR17
Travão frente Dois discos de 310 mm
Travão retaguarda Disco único de 256 mm
Fabricante Honda
Equipamento opcional Proteção do depósito, Para-brisas, Bacquet para o banco do passageiro, Cobertura para o guarda-lamas dianteiro, Banco em Alcantara para o passageiro/condutor, Pontas do guiador, Tampa do motor, Grelha do radiador, Autocolantes para as jantes, Punhos aquecidos, Sistema Quickshifter de mudanças rápidas, Base para bagagem, Saco para banco traseiro, Saco de depósito.
  1. Introdução

Nesta última década, o mundo das motos mudou muito em termos do que os motociclistas esperam das suas motos – o que fazem, o seu aspeto e como elas os fazem sentir. E a Honda nunca teve receio em aplicar as suas tecnologias, engenharia e imaginação, questionando "e se…?", para criar motos que pudessem preencher as novas lacunas que foram surgindo no mercado.

A nova CB1000R é uma dessas motos. Introduzida graças a uma atualização de grande monta ocorrida neste modelo em 2018, os engenheiros de desenvolvimento da Honda reavaliaram a base streetfighter do modelo anterior e, guiados por uma tendência retro-industrial minimalista, retiraram tudo o que consideraram ser supérfluo. A moto que daqui resultou, nascida sob os desígnios da linha "Neo Sports Café", é uma nova fusão de um modelo de inspiração naked desportiva com uma proposta Café Racer minimalista.

A CB1000R destaca-se das demais porque se afasta da habitual fórmula "naked de grande cilindrada" derivada das superdesportivas de série, criando um modelo que mistura uma funcionalidade entusiasmante com formas radicalmente frescas e renovadas, num conjunto de elevada elegância e valor estético; no fundo, uma "super-modelo de duas rodas". Num modelo em que "menos é mais", a renascida CB1000R oferece ao seu condutor um motor pleno de performances, mas sempre com o controlo de uma moto superdesportiva.

Com uma condução entusiasmante e totalmente capaz de ombrear com modelos bastante mais específicos em estradas sinuosas, seja como for que se olhe para ela – estética, emoções, performances ou tecnologias – a nova CB1000R é uma moto que não é fácil de ignorar.

As alterações de pormenor introduzidas em 2020 permitiram destacar ainda mais o seu caráter premium. Agora, para 2021, a CB1000R dá um pulo qualitativo significativo, tanto em termos de estilo, como de envolvência do condutor.

 

 

  1. Generalidades do modelo

 

Visualmente, as linhas da CB1000R de 2021 são mais agressivas e avançadas; os novos detalhes, tais como o subquadro em alumínio, os resguardos do radiador e as tampas da caixa do filtro do ar, apresentam um fluxo integral, dinâmico e harmonizado. O farol também mostra um formato evoluído e agora está inclinado para trás; as jantes, novas e intricadas, aumentam a pureza do design.

Apesar de a parte ciclística não ter sido alterada, o motor recebeu um novo sistema PGM-FI com afinações melhoradas e que permitem suavizar a entrega de potência e também tem homologação EURO5. As atualizações consistem num novo painel de instrumentos TFT a cores, que inclui o Sistema de Controlo de Voz Honda para Smartphones (HSVC – Honda Smartphone Voice Control System), permitindo ligar o smartphone do condutor e também uma ficha USB debaixo do banco.

A CB1000R de 2021 vai estar disponível nos esquemas cromáticos seguintes:

 

Vermelho Candy Chromosphere

Preto Metalizado Mate Ballistic

Prata Metalizado Mate Beta

 

A CB1000R Black Edition

 

Apesar de a nova CB1000R ser uma moto plena de beleza intencional, os engenheiros da Honda resolveram ir um pouco mais além com a nova Black Edition. Com um visual personalizado e feito à mão, a versão Black Edition começa na mesma linha de fabrico da CB1000R normal; depois, esta versão praticamente toda preta entra em território estético assumidamente mais caraterístico, com utilização de alguns acessórios extra selecionados.

 

Sem contar alguns pormenores em alumínio maquinado – nos raios das jantes, no braço oscilante, nas tampas do motor e nos apoios do guiador – tudo o que se vê é preto: o farol cónico, o para-brisas, as colunas da forquilha, os resguardos do radiador, as tampas da caixa do filtro do ar (com acabamento anodizado), o escape e o silenciador. O depósito e a bacquet do banco do passageiro são em Preto Graphite.

De série, a CB1000R Black Edition vem equipada com um sistema quickshifter de mudanças rápidas. O logótipo CB maquinado confere-lhe um toque de exclusividade.

 

 

  1. Caraterísticas Principais

 

3.1 Estilo e Equipamento

 

  • Postura agressiva, "avançada" e sobrelevada, com um estilo mais elegante a todo o comprimento e novas jantes de alumínio fundido
  • Sistema de Controlo de Voz Honda de 2021 para Smartphones, permite ligar o condutor ao seu smartphone via Bluetooth e ecrã a TFT a cores de 5 polegadas e ficha USB sob o bancoA estética de design "Neo Sports Café" da Honda foi criada não apenas com um olhar saudosista para o passado, mas também com um olhar no futuro, com grande margem de variação deste tema. Assim, as evoluções não param; a CB1000R é senhora de uma impressionante afirmação de estilo, feita já em 2018, e que serviu agora de rampa de lançamento para esta nova atualização. É praticamente impossível confundir o visual distinto de um modelo Neo Sports Café; na CB1000R, esta personalidade está ainda mais marcada e a postura é ainda mais agressiva, curvada para a frente e diagonalmente para baixo, tendo como ponto central o impressionante motor preto. As novas jantes de alumínio fundido e 7 raios acrescentam um visual complexo e atraente.A harmonia vê-se e sente-se de ponta a ponta: o farol redondo é instantaneamente reconhecível e agora possui uma moldura tipo lágrima, na sua posição recuada entre as colunas da forquilha; os resguardos do radiador em alumínio polido são muito mais compactas e inclinadas na direção do deslocamento, uma opção de design que encontra eco nas tampas da caixa do filtro do ar. O sinuoso subquadro em alumínio foi totalmente redesenhado e agora tem acabamento prateado (em vez de preto), o que destaca o minimalismo absoluto da parte traseira. E, para não perder os detalhes estéticos, o suporte de montagem da chapa de matrícula também é menor.
  •  
  •  
  •  

 

Apesar de poder chamar a atenção graças ao seu look revitalizado, os aspetos práticos do dia-a-dia também não foram esquecidos e a facilidade de utilização real da nova CB1000R foi melhorada. O painel de instrumentos inclui agora um ecrã TFT a cores de alta visibilidade com 5 polegadas; esta unidade oferece quatro tipos de visualização da velocidade e da rotação – consoante as preferências do condutor – bem como indicação do nível/consumos de combustível, seleção do modo de condução/parâmetros do motor e indicador de mudança mais alta. A gestão é feita pelos botões do punho esquerdo.

 

Também incorporado no interface da CB1000R, o sistema HSVC (Honda Smartphone Voice Control) permite que o condutor se ligue ao seu smartphone durante a condução, oferecendo uma gestão por comandos de voz das chamadas telefónicas, emails, músicas e ainda do sistema de navegação. É necessário usar um capacete com altifalantes e microfone (headset) e o smartphone liga-se ao painel de instrumentos via Bluetooth; a gestão do sistema HSVC também pode ser feita a partir dos botões do punho esquerdo do guiador. Agora também há uma ficha USB localizada debaixo do banco; esta ficha permite carregar um smartphone.

 

Os piscas traseiros da CB1000R têm uma função de Sinal de Paragem de Emergência (ESS – Emergency Stop Signal). Se o condutor travar de repente, as luzes de emergência piscam para avisar os outros utilizadores da estrada que a CB1000R está a travar de emergência. Os piscas também têm agora uma função de cancelamento automático; em vez de um temporizador simples, o funcionamento é por comparação das diferenças de velocidade entre a roda dianteira e a roda traseira: é efetuado um cálculo do momento de cancelamento dos piscas em relação à situação de condução.

 

3.2. Motor

 

  • Motor tetracilíndrico oriundo da CBR1000RR, com sistema TBW de acelerador eletrónico
  • Sistema PGM-FI revisto para uma entrega de potência ainda mais suave
  • Agora, o motor também tem homologação EURO5

 

O motor tetracilíndrico de 998 cm³ DOHC da CB1000R oferece uma grande dose de potência e de binário: 107 kW às 10.500 rpm e 104 N·m às 8.250 rpm. O diâmetro e o curso são de 75 x 56,5 mm e a relação de compressão é de 11,6 : 1. O redline começa às 11.500 rpm e o limitador de rotação corta o motor às 12.000 rpm; as únicas alterações para 2021 são o sistema PGM-FI de afinações otimizadas – com entrega de potência mais suave e melhores respostas – e a homologação EURO5.

 

Este motor foi ainda adaptado e otimizado para disponibilizar um binário forte, especialmente na faixa entre as 6.000 e as 8.000 rpm, onde esta unidade é significativamente mais forte, oferecendo uma experiência de condução entusiasmante e envolvente. Outro dos seus pontos fortes são as acelerações rápidas em condições reais de ultrapassagem no trânsito.

 

A caixa do filtro do ar, as condutas de admissão e o próprio filtro do ar oferecem um trajeto suave de entrada de ar no motor, o que reduz as perdas de pressão logo desde as condutas exteriores; a rampa de aceleração com 44 mm de diâmetro fornece a mistura ar/combustível às aberturas de admissão de grande diâmetro que, por sua vez, dão acesso às câmaras de combustão cuidadosamente formadas. A elevação das válvulas da admissão é de 8,3 mm e no escape é de 8,1 mm. Os pistões são de alumínio forjado.

 

As relações mais curtas oferecem acelerações fantásticas ao passar as mudanças entre os 30 e os 130 km/h. A nova embraiagem assistida/deslizante é superleve e ajuda a gerir as reduções fortes e rápidas na caixa.

 

O escape da CB1000R aumenta a potência a média rotação e contribui para a redução geral do peso. O design 4-2-1, com 4 catalisadores de curtas dimensões dentro da câmara principal, alimenta depois um silenciador de dupla câmara. A sonoridade foi aperfeiçoada internamente, o que significa que, quando a rotação sobe acima das 5.500 rpm, o som fica mais profundo e rouco.

 

Para conseguir a homologação EURO5, os sensores de escape O2 lambda foram substituídos por sensores de fluxo de ar pobre (LAF – Lean Air Flow) colocados nos coletores de escape, para permitir uma medição muito mais precisa dos gases queimados. O motor tem um consumo de 5,84 l/100 km (17,1 km/l).

 

3.3 Sistema eletrónico do motor

 

  • Três modos de condução por defeito e opção de personalização USER
  • Três níveis de potência, travão-motor e controlo de binário HSTC

 

O sistema TBW (Throttle By Wire) de acelerador eletrónico oferece o máximo de controlo ao condutor sobre o potente motor da CB1000R, graças aos 3 modos de condução disponíveis de série e 1 modo USER, geridos pelo guiador e também pelo painel de instrumentos TFT.

 

Há três níveis de potência (P), travão-motor (EB) e controlo de tração (HSTC) disponíveis; o sistema HSTC também pode ser desativado. Estes três modos oferecem diferentes combinações de cada parâmetro.

 

O modo RAIN usa a definição de potência mais baixa e menos agressiva e efeito travão-motor e controlo de tração elevado. Os níveis mais baixos de potência e de binário focam-se nas 3 primeiras mudanças.

 

O modo STANDARD usa níveis médios de potência, travão-motor e controlo de tração. Este modo suaviza um pouco a entrega de potência em primeira e segunda velocidades e usa uma curva um pouco abaixo da curva do modo SPORT, com menor binário com o acelerador parcialmente aberto.

 

O modo SPORT usa o nível mais elevado de entrega de potência e os níveis mais baixos de efeito travão-motor e de controlo de tração, oferecendo assim o máximo de potência e de binário em todas as seis velocidades e em toda a faixa utilização do acelerador, com o mínimo de intervenção do sistema HSTC.

 

Finalmente, o modo USER permite ao condutor escolher entre 3 definições de cada parâmetro e grava neste modo para utilização futura.

 

  • Ciclística

 

  • Quadro monotrave à retaguarda em aço, forquilha Showa SFF-BP com afinação e monoamortecedor traseiro
  • Travão dianteiro de duas pinças radiais, com quatro êmbolos e discos flutuantes de 310 mm

 

A parte ciclística da CB1000R não sofreu alterações para 2021 e equipa um quadro em aço monotrave à retaguarda e placas de pivot de aperto dividido em alumínio que prendem o monobraço oscilante caraterístico de 574,2 mm. O ângulo da coluna da direção é de 25° e o eixo de arraste (trail) é de 100 mm. A distância entre eixos vale 1.455 mm e o peso em ordem de marcha é de 212 kg. A distribuição do peso é de 48,5/515,5 % (frente/trás).

 

A posição de condução é "naturalmente agachada" graças ao triângulo formado pelo condutor, pelo guiador largo e de espessura variável em alumínio e pelo banco com 830 mm de altura. O depósito de combustível de acabamento sem flanges é largo, mas muito recortado nas laterais, oferecendo muito espaço para os joelhos.

 

A forquilha dianteira é uma unidade Showa SFF-BP de funções separadas e pistões de grande diâmetro. Esta unidade tem o amortecimento numa das colunas, o que permite reduzir o peso, mas manter toda a elasticidade, conforto e controlo ao longo de uma vasta gama de condições. O amortecedor traseiro Showa possui afinação da pré-carga da mola e do amortecimento em extensão.

 

À frente, a travagem está a cargo de duas pinças de travão de quatro êmbolos e montagem radial e dois discos flutuantes de 310 mm de diâmetro e atrás, um disco de 256 mm e uma pinça de dois êmbolos; a travagem é complementada por um sistema ABS de e canais. As novas jantes de sete raios em alumínio fundido e de design intricado exalam uma elegância ousada; o pneu traseiro (montado num aro de 6 polegadas) é de tamanho 190/55 ZR17 e a frente o pneu é um 120/70 ZR17.

 

 

  1. Acessórios

 

Está disponível toda uma gama de acessórios para personalização para a CB1000R, incluindo:

 

Proteção do depósito

Para-brisas

Bacquet para o banco do passageiro

Cobertura para o guarda-lamas dianteiro

Banco em Alcantara para o passageiro/condutor

Pontas do guiador

Tampa do motor

Grelha do radiador

Autocolantes para as jantes

Punhos aquecidos

Sistema Quickshifter de mudanças rápidas

Base para bagagem

Saco para banco traseiro

Saco de depósito

Disponibilidade: Indisponível

0,00 €
  • Comparar
  • */ ?>

    Seja o primeiro a analisar este produto

    Etiquetas de Produtos

    Utilize um espaço para separar as etiquetas. Utilize aspas simples (') para frases.