Novos
Share |

Honda GL1800 Gold Wing Tour DCT

Honda GL1800 Gold Wing Tour DCT

Informação Adicional

Motor 6 cilindros opostos, refrigerado por líquido, 4 tempos, SOHC, 24 válvulas
Cilindrada 1,833cc
Potência Máxima 127CV (93kW)/5500rpm
Binário Máximo 170Nm/4.500rpm
Alimentação Injecção electrónica PGM-FI
Depósito de Combustível 21,1 litros
Embraiagem (MT) Hidráulica, húmida, multi-discos com molas helicoidais, camara deslizante assistida / (DCT) Hidráulica, húmida, multi-discos com pressão de óleo
Caixa de Velocidades (MT) 6 velocidades (incluindo overdrive e marcha-atrás eléctrica) / (DCT) 7 velocidades e marcha-atrás
Transmissão Final Veio selado
Quadro Dupla trave em liga de alumínio
Dimensões Gold Wing (2,475mm x 925mm x 1,340mm) / Gold Wing ‘Tour MT’ (2,575mm x 925mm x 1,430mm) / Gold Wing ‘Tour DCT’ (2,575mm x 905mm x 1,430mm)
Altura do Assento 745mm
Peso em ordem de Marcha Gold Wing: 365kg / Gold Wing ‘Tour’: MT 379kg / DCT 383kg
Suspensão frente Duplos braços sobrepostos
Suspensão retaguarda Pro Link
Pneu Frente 130/70R 18
Pneu Retaguarda 200/55R 16
Travão frente Sistema ABS combinado controlado eletrónicamente
Travão retaguarda Disco ventilado de 316mm x 11mm com maxila de 3 êmbolos e pastilhas de metal sinterizado
Fabricante Honda
Equipamento de Série

 - Suspensão FR Link

 - Viseira Elétrica

 - DCT

 - Top Case

 - Altifalantes - 2 Dianteiros + 2 Traseiros

 - Mapas de motor - 4 Modos

 - Assento aquecido

 - GPS

 - Car Play

 - AirBag

1. Introdução 

 Desde a sua introdução como uma moto naked de 1.000 cm³ em 1975, a Honda Gold Wing sempre foi a derradeira opção para quem pretende viajar em duas rodas. E este é um modelo que tem uma história e um percurso muito próprios, tendo crescido ao longo das décadas, tanto em tamanho, como em cilindrada; todas as versões serviram para dar a este modelo uma reputação sem paralelo no mundo das duas rodas, quer em termos de luxo e de qualidade, como de conforto sem precedentes.

 Agora e em resposta à evolução demográfica e do próprio mercado de duas rodas, a equipa de desenvolvimento responsável peor este modelo decidiu adoptar uma abordagem radicalmente diferente em relação ao que são os conceitos tradicionais da trajectória de evolução desta moto.

 Para 2018, a GL1800 Gold Wing abraça uma nova direcção e é um modelo totalmente novo, "dos pés à cabeça". No entanto e apesar disso, continua a exibir o seu motor característico de seis cilindros opostos, responsável pela "avalanche" de binário e de potência, mantendo-se portanto como "A MOTO” premium de turismo de referência na gama da Honda, repleta de equipamentos e funcionalidades, com capacidade para oferecer uma viagem com todo o conforto e estilo para duas pessoas. Ainda assim, a GL1800 está agora mais pequena, mais leve e bastante mais ágil – no fundo, uma verdadeira moto para o "motociclista viajante".

 Com tudo isto, a Gold Wing está bastante mais atraente e apela agora a toda uma geração de motociclistas mais novos que, porventura, podiam nem ter considerado este modelo – ou até nem sequer estarem conscientes de todas as funcionalidades e potencialidades do modelo. Tão à vontade nos trajectos urbanos como em estrada aberta, esta nova Gold Wing é uma verdadeira moto para todas as opções e não apenas para uma.

 Nas palavras do Sr. Yutaka Nakanishi, Principal Líder do Projecto (LPL) da Gold Wing de 2018:

 

 "O objectivo era que a nova Gold Wing mantivesse todo o luxo que a caracteriza, mas num modelo muito mais "redondo" e polivalente. Uma moto útil para o seu condutor seja em cidade ou em viagem. E com a condução entusiasmante de sempre. Assim e com estes objectivos em mente, começámos do zero com a ideia de tornar a Gold Wing mais pequena e mais leve, num modelo que possuísse todos os equipamentos tecnológicos, de hardware e software que o condutor modernos já não dispensa. E agora, tal como em 1975, este continua a ser um modelo emblemático para a Honda – estamos muito orgulhosos de dar início a um novo capítulo, com um nome desta envergadura: Gold Wing!"

  

2. Generalidades do modelo

Com motorização e plataforma comuns, a nova GL vai estar disponível em duas versões: uma de base, denominada simplesmente GL1800 Gold Wing e a outra com designação Tour, uma edição equipada com top case, que disponibilizará também uma versão com sistema DCT e air bag.

Consoante a variante, a moto pesa menos 48 kg em relação ao modelo anterior.

 O motor e a parte ciclística foram desenhados em conjunto, colocando assim o posto de condução numa posição mais avançada dentro da moto, o que permite criar um veículo bastante mais compacto. O quadro, de traves em alumínio, foi desenvolvido com base numa forquilha dianteira de braços articulados, o que permite colocar o motor também em posição ainda mais avançada – porque a roda dianteira fica assim com um movimento ascendente e descendente num plano mais vertical – enquanto oferece toda a estabilidade e controlo de elevada qualidade característicos da suspensão dianteira, graças à sua rigidez e atrito reduzido. Agora, o amortecimento pode ser regulado electricamente.

 Com optimizações de tamanho, o novo motor de seis cilindros opostos mantém toda a sua potência e binário, com uma entrega exemplar e brilhante. O sistema é controlado por um acelerador electrónico Throttle-by-wire e oferece 4 modos de condução: TOUR (turismo), SPORT (desportiva), ECON (económica) e RAIN (chuva). O sistema HSTC de controlo variável de binário mantém a tração da roda traseira, em conjunto com a alteração nas definições do amortecimento da suspensão e do sistema CBS de travagem combinada, consoante o modo seleccionado. O sistema HSA de assistência ao arranque em subida e a função Idle Stop de paragem do motor ao ralenti facilitam a condução e permitem melhorar os consumos do motor.

 Agora, a caixa manual oferece 6 velocidades e a nova transmissão automática DTC de dupla embraiagem tem 7 mudanças, com características personalizadas especificamente para cada modo de condução, tais como a sensibilidade da embraiagem, a rapidez de troca de caixa e a gama de rotação do motor à qual o sistema engrena mudanças mais altas ou mais baixas. Esta caixa automática oferece ainda uma função "creep", de movimento lento, tanto em marcha para frente, como em marcha-atrás. A versão manual emprega o mesmo sistema de marcha-atrás que o modelo anterior.

 Acima de tudo, a Gold Wing de 2018 oferece toda uma nova sensação de novidade e de liberdade, com um passo definido em frente também em termos de puro prazer de condução. A melhoria das performances é complementada por níveis ainda mais elevados de tranquilidade e descontracção na condução: as carenagens elegantes e com elevada eficiência aerodinâmica canalizam o ar à volta do condutor e o pára-brisas oferece regulação eléctrica de acordo com a preferência; o conforto dos bancos é exemplar. As novas funcionalidades, tais como o sistema Smart Key, o protocolo Apple CarPlay e a conectividade Bluetooth oferecem ainda maior conveniência.

 Por outro lado, até outros aspectos como, por exemplo, a pintura da Gold Wing, foram muito bem pensados. A parte superior da moto apresenta uma tonalidade mais profunda com camada espessa translúcida, complementada pelos bancos de acabamento em material granulado e de elevadíssima qualidade. A parte inferior é destacada por texturas vivas e com uma afirmação visual muito forte.

 

Os esquemas cromáticos disponíveis são:

GL1800 Gold Wing – Matte Majestic Silver.

GL1800 Gold Wing ‘Tour’ – Candy Argent Red e Pearl Glare White.

GL1800 Gold Wing ‘Tour’ com DCT e airbag – Candy Argent Red/Darkness Black e Darkness Black metallic.

 

3. Características principais

3.1 Estilo e Equipamento

 

  • Linhas fortes e contemporâneas exibem a parte inferior da moto 
  • Conforto e gestão do aquecimento e dos fluxos aerodinâmicos bastante melhorados 
  • Pára-brisas eléctrico com regulação em inclinação e altura 
  • Sistema de controlo da velocidade de cruzeiro com funcionamento suave via sistema de acelerador electrónico TBW
  • Ampla capacidade de transporte de bagagem para ainda maior aptidão para turismo; a top case continua a levar 2 capacetes integrais
  • Ecrã TFT de 7 polegadas para todas as informações do sistema de navegação e do rádio
  • Protocolo Apple CarPlay permite a ligação de dispositivos
  • Luzes integrais de LEDs e piscas com função de cancelamento automático
  • Sistema Smart Key para maior conveniência de utilização da ignição e das malas da moto

 

A Gold Wing anterior tinha um design expansivo e com atitude. Esta nova Gold Wing é uma proposta totalmente diferente e vem substituir as linhas descontraídas do modelo cessante com uma postura mais polida e atlética. As palavras-chave usadas pela equipa da Honda durante a fase de desenvolvimento foram "Formas Refinadas, Estilo Forte".

A moto exibe uma silhueta única que contrapõe as capacidades dinâmicas do motor e do chassis, a que junta depois o elevado nível típico de uma Gold Wing em termos de construção, acabamentos e materiais. Esta nova "face ousada" exibe uma inclinação decidida para a frente e, em combinação com as carenagens de proporções compactas, possui uma "assinatura" frontal muito forte.

As linhas-mestras que percorrem a moto de frente para trás destacam as diferentes funções das partes superior e inferior do chassis e destacam as menores dimensões de todo o veículo. As carenagens são sem dúvida o elemento central, com superfícies planas fortes e sólidas e nuances aerodinâmicas e que deixam antever todas a capacidade de performance do veículo.

As diversas opções técnicas da moto – por exemplo, a suspensão dianteira de duplos braços sobrepostos, o motor de seis cilindros opostos e os escapes – exibem toda uma beleza funcional. Como foram todos desenhados em conjunto, os diversos elementos de design criam um estilo moderno e inovador, suportado pelos incríveis níveis de engenharia e de conhecimento electrónico aplicados.

As proporções podem ser agora mais reduzidas e mais fortes, com um foco novo e decidido no capítulo estético, mas a equipa responsável pelo desenvolvimento não descurou nunca aspectos de suma importância como são o conforto, a gestão do aquecimento e, ainda mais importante, a gestão dos fluxos aerodinâmicos.

As carenagens da versão anterior foram desenhadas para fornecerem uma "bolsa de ar imóvel" atrás do veículo; no novo modelo, a abordagem é canalizar os fluxos aerodinâmicos à volta do condutor e do passageiro, oferecendo assim uma "brisa" de arrefecimento fresca e eficiente. O menor arrasto aerodinâmico também ajuda a reduzir os consumos.

O enorme pára-brisas é uma coisa do passado; no seu lugar encontramos um pára-brisas mais pequeno e com regulação eléctrica a partir do punho esquerdo. Esta unidade oferece excelente protecção (porque o condutor e o passageiro viajam agora mais próximos do pára-brisas), mas mantendo em simultâneo toda a sensação de espaço e liberdade, quando for necessário. A regulação em inclinação e altura do pára-brisas é feita de forma contínua, sem "degraus". Como opção, estão disponíveis um pára-brisas maior, um deflector totalmente regulável para os braços e tronco e deflectores fixos para a parte inferior das pernas e para os pés.

No que respeita aos bancos, o condutor e o passageiro estão separados, tal como no modelo antigo – o condutor pode apreciar a condução da moto e o passageiro pode recostar-se e gozar a viagem. O formato do banco do condutor é confortável e oferece todo o apoio, permitindo toda a liberdade de movimentos – para poder apreciar a nova dinâmica da Gold Wing – com acesso fácil dos pés ao chão.

Todas as luzes são de LEDs. A parte inferior dos faróis usa 5 lentes ópticas polidas de ambos os lados, criando uma iluminação de médios potente e com um aspecto muito elegante. Os feixes de máximos (na parte superior dos faróis) originam uma impressão estereoscópica. Os piscas de direcção dianteiros estão colocados nos espelhos retrovisores e todo o sistema tem função de cancelamento automático; o funcionamento é por comparação das diferenças de velocidade entre a roda dianteira e a roda traseira: é efectuado um cálculo do momento de cancelamento dos piscas em relação à situação de condução.

O controlo da velocidade de cruzeiro da nova Gold Wing também evoluiu: a velocidade memorizada através do interruptor do sistema (localizado no punho direito) é agora indicada no canto inferior esquerdo do velocímetro.

Por outro lado e graças à utilização do acelerador electrónico, conseguem-se transições e funcionamento muito mais suaves até alcançar a velocidade especificada, especialmente nas subidas. No caso dos modelos com caixa manual, a acção de apertar a manete da embraiagem, ou de travão, ou de movimento no punho acelerador, cancela o controlo da velocidade de cruzeiro, tal como sucedia no modelo anterior. Na variante DCT (em modo AT), após a conclusão da desaceleração com o controlo da velocidade de cruzeiro activado – e ao retomar a velocidade anterior – a Gold Wing retorna à velocidade pré-seleccionada engrenando as mudanças mais adequadas para isso.

Antes de desenhar o sistema de transporte de bagagem, a Honda foi investigar como é que a Gold Wing era usada pelos seus proprietários. Essa investigação permitiu concluir que não havia necessidade de transportar enormes quantidades de bagagem, já que a maioria era usada em viagens mais curtas, de 2 ou 3 dias, o que originou uma redução inteligente no volume total.

A top case da versão Tour alberga espaço para 2 capacetes integrais; em combinação com as malas laterais, a capacidade de carga são 110 litros. A abertura faz-se através de um botão ou da smart key. Como opção temos uma prateleira para bagagem para a tampa da top case e sacos de design exclusivo para os compartimentos de bagagem.

O depósito tem capacidade para 21 litros de combustível, menos 4 que anteriormente. Mas, como a nova Gold Wing está agora bastante mais leve e tem maior eficiência aerodinâmica, melhorou os consumos de combustível para 5,6L/100km o que significa que a autonomia se mantém idêntica à do modelo anterior.

A instrumentação de luxo permite criar um cockpit único. Os mostradores têm diferentes cores de baixo contraste e tonalidades escuras, cujas áreas periféricas formam cones inclinados que criam uma sensação de profundidade. Cada mostrador tem uma moldura de textura metalizada e as escalas são iluminadas por LEDs, oferecendo uma imagem concreta, profunda e calma, num conjunto de leitura eficiente e muito fácil.

O ecrã TFT de 7 polegadas de cristais líquidos fornece todas as informações dos sistemas de infotainment (informação e entretenimento – os sistemas áudio e de navegação), para além do estado do sistema HSTC de controlo de binário e das afinações da suspensão. As informações são apresentadas em segmentos diferenciados e dispostos por ordem muito funcional; desta forma, o condutor pode ler todas as informações com o mínimo de movimento dos olhos.

A luminosidade é ajustada automaticamente (com um valor máximo de 1.000 cd para a intensidade do ecrã) e o condutor também pode escolher entre 8 níveis de brilho. A pressão dos pneus é indicada por um valor numérico no canto inferior esquerdo do painel de instrumentos.

Em lugar de destaque – na consola central e na smart key – encontramos o emblema Gold Wing. O seu design 3D vivo em cromado de duas tonalidades funde a robustez e a dignidade de uma cabeça de leão com o aspecto majestoso de uma águia de asas estendidas e de garras abertas. A smart key activa todos os sistemas da moto e inclui uma chave de emergência. A ignição e a tranca da direcção podem ser activadas ou desactivadas bastando apenas transportar a smart key.

A operação do sistema de malas também foi simplificada. Na presença da smart key, basta carregar num botão para abrir as malas laterais e a top case. Também se pode destrancar temporariamente as malas usando o comando à distância; o botão de destrancar na smart key permite ao passageiro aceder instantaneamente às malas laterais e à top case. Os amortecedores hidráulicos oferecem maior suavidade na abertura e no fecho. Carregar e manter carregado o botão de chamada faz piscar os indicadores de direcção.

Agora, a Gold Wing é compatível com o protocolo Apple CarPlay, pelo que o condutor pode usar as informações personalizadas e os conteúdos do seu iPhone (por exemplo, listas telefónicas e listas de reprodução de músicas). A conectividade Bluetooth é outra das funcionalidades e há uma porta USB para ligar dispositivos portáteis.

Tal como a nova Gold Wing está mais leve e compacta, também o rádio de elevada potência sofreu uma evolução. Os altifalantes de baixo peso têm localizações adequadas à nova posição de condução e oferecem uma qualidade sonora elevada, viva e nítida. O comando do sistema áudio para o passageiro oferece uma experiência de condução ainda mais agradável; os interruptores estão colocados na parte superior da mala lateral direita e permitem ajustar o volume, mudar a fonte sonora e passar a faixa para a frente.

O sistema de navegação usa o ecrã LCD-TFT a cores de 7 polegadas em posição central do painel de instrumentos e agora inclui uma bússola giroscópica que permite manter as instruções de navegação mesmo no interior dos túneis. Agora, também é possível cancelar os pontos de passagem ou pedir ao sistema que indique o caminho de volta para casa (função Go Home) durante a condução.

 

3.2 Ciclística

  • Redução total de 48 kg no peso em comparação com o modelo anterior
  • Novo quadro dupla trave em alumínio, permite montar e colocar o motor em posição mais à frente no chassis
  • Suspensões redesenhadas: à frente, de duplos braços sobrepostos e atrás, de monobraço Pro-Arm
  • Regulação dos níveis de amortecimento à frente e atrás, permite melhor adaptação ao modo de condução seleccionado
  • Pré-carga traseira com regulação eléctrica
  • Duplo sistema de travagem combinado (D-CBS)

O quadro dupla trave em alumínio fundido da nova Gold Wing foi concebido para montar o motor (agora bastante mais compacto) num espaço apertado e 40 mm mais para a frente. A sua espessura estrutural foi optimizada em todas as áreas, oferecendo uma condução suave e estável, seja a baixa velocidade nas ruas estreitas da cidade ou a alta velocidade em estrada aberta. Em conjunto o quadro e o monobraço oscilante são 2 kg mais leves do que no design anterior.

Neste novo modelo, os bancos do condutor e do passageiro estão 36 mm mais para a frente e, graças à suspensão dianteira de duplos braços sobrepostos (e à própria configuração dos ângulos dos duplos braços sobrepostos), a parte traseira do pneu dianteiro avançou 24 mm, com a suspensão em compressão total.

Outra das vantagens da suspensão dianteira de duplos braços sobrepostos é a redução do atrito no seu curso (originada pelas ondulações do pavimento e pelas acções do condutor sobre a direcção) criadas por uma suspensão convencional, à medida que a forquilha sobe e desce; a frente da nova Gold Wing é 30% mais suave. Todas as áreas com casquilhos para os cursos de direcção e de compressão usam rolamentos, oferecendo ainda maior redução no atrito.

As acções da direcção – recebidas pelas duas mesas de direcção – também estão separadas da suspensão, por acção de um mono-amortecedor; agora, a Gold Wing está 40% mais ágil e fácil de direccionar. Adicionalmente, uma travessa de direcção patenteada liga os punhos do guiador ao eixo dianteiro e a posição do pivot do guiador com menos massa à sua volta (em conjunto com a localização dos punhos) oferece uma sensibilidade totalmente natural ao condutor.

O sistema Dual-CBS de travagem combinada permite distribuir a força de travagem de forma optimizada entre a roda dianteira e a roda traseira. No modelo anterior, o ABS funcionava com recurso a 2 motores eléctricos; agora, esses motores foram substituídos por um modulador de ABS mais pequeno e mais leve que efectua a recirculação do fluido e está integrado na ECU dos travões; todo o sistema pesa menos 1,3 kg. Este sistema também tem ligação ao modo de condução actualmente seleccionado pelo condutor, ajustando automaticamente as características de travagem à situação de condução e melhorando a segurança. Os dois discos dianteiros de 320 mm são accionados por pinças de 6 êmbolos; o disco traseiro de 316 mm tem uma pinça de 3 êmbolos.

O novo monobraço Pro-Arm da Gold Wing é uma novidade na Honda; o design antigo usava rolamentos cónicos com chapas de espessura adequada nos pontos de pivot para providenciar a rigidez adequada. O design do novo monobraço Pro-Arm recorre a uma estrutura com veio pivot (patente pendente) e está ligado ao quadro pelo lado esquerdo. O lado direito serve como acesso para efeitos de manutenção.

Isto alterou o esforço e as forças que actuavam nos pratos de pivot do braço oscilante no quadro, oferecendo uma liberdade muito maior de design e tornando a moto mais fácil de conduzir, enquanto aumenta também a estabilidade. O sistema Pro-Link oferece um conforto e uma acção de suspensão progressiva – os pratos de ligação foram optimizados e o sistema usa uniões por rótulas, o que cancela a torsão.

O nível de amortecimento também tem regulação eléctrica relacionada com o modo de condução seleccionado. Para isso, há motores passo-a-passo alojados nos amortecedores dianteiro e traseiro que movem agulhas que controlam o fluxo de óleo, efectivamente "personalizando" a força de amortecimento a cada situação de condução.

Agora, a pré-carga traseira também pode ser ajustada electricamente. Este é um sistema intuitivo – em vez de numérico. Com separação dos 4 modos de condução, temos 4 definições de pré-carga, de mais macia, a mais rija; só condutor, condutor e bagagem, condutor e passageiro e condutor com passageiro e bagagem. A definição é apresentada no ecrã TFT e pode ser regulada por meio de um interruptor.

O ângulo da coluna da direcção e o eixo de arraste (trail) são de 30,5°/109mm, com uma distância entre eixos de 1.695 mm. A Gold Wing anterior pesava 413 kg em ordem de marcha; a nova Gold Wing pesa 365kg. A Gold Wing Tour pesa 379kg e a versão Tour com DCT e airbag pesa 383kg em ordem de marcha.

 

3.3 Motor

 

  • Motor de seis cilindros opostos extensivamente revisto e 6,2 kg mais leve, com 4 válvulas por cilindro
  • Acelerador electrónico Throttle-by-wire (TBW) oferece 4 modos de condução para alterar a entrega de potência do motor
  • Os modos de condução também influenciam o sistema HSTC de controlo de binário, o amortecimento da suspensão e a força de travagem
  • Função Idle Stop de paragem do motor ao ralenti; alternador e motor de arranque integrados (ISG – Integrated Starter Generator) na versão DCT
  • Sistema HSA (Hill Start Assist) de assistência ao arranque em subida
  • Caixa manual de 6 velocidades com embraiagem assistida/deslizante

O anterior modelo Gold Wing estava equipado com motor suave de seis cilindros em linha que era um aspecto central na atracção desse modelo e na produção de enormes quantidades de binário logo desde baixa rotação e exibia uma entrega de potência distinta e uma sensibilidade que depressa se tornavam viciantes.

Para manter estas características e para ir de encontro à nova ciclística, o motor de 1.833 cm³ também foi redesenhado. A sua arquitectura manteve-se nos seis cilindros opostos, mas agora com 4 válvulas por cilindro em vez de apenas duas, dimensões bastante mais compactas e menos 6,2 kg.

O pico de potência é de 93 kW (127CV) e chega às 5.500 rpm, com o pico de binário de 170 N·m a aparecer às 4.500 rpm. O diâmetro dos cilindros (agora, 73 mm e anteriormente, 74 mm) foi optimizado para o curso de 73 mm, com o passo dos cilindros reduzido em 9 mm; os dois bancos de cilindros estão descentrados 4 mm e as camisas são agora de alumínio. A relação de compressão é de 10,5 : 1.

As cabeças Unicam – com as válvulas de admissão accionadas por balanceiros flutuantes e as válvulas de escape comandadas por balanceiros de roletes – também recorrem a veios coaxiais para os balanceiros, tanto para a admissão como para o escape, dispensando a estrutura de touches do modelo antigo.

Agora, as câmaras de combustão têm um design pentagonal de 4 válvulas (em vez de um formato côncavo de duas válvulas), com aberturas da admissão desenhadas para facilitar o remoinho no interior dos cilindros, o que melhora a eficiência. As saias dos pistões têm um revestimento de molibdénio que reduz o atrito.

A cambota é mais robusta e é fabricada em aço SCM440H; este componente tem uma descentragem negativa (–4 mm) nos moentes; em comparação com o design anterior, o novo motor tem menos 33,5 mm de comprimento. O sensor da cambota (que detecta a rotação do motor e a posição dos pistões para o sistema de injecção electrónica e para a ignição) passou da frente para a traseira do motor, reduzindo a distância entre a tampa dianteira e a cambota em 7 mm.

A adição do sistema de acelerador electrónico TBW oferece 4 modos de condução, que alteram as características do motor e a sua entrega de potência e estão interligados ao sistema HSTC de controlo de binário, ao comando do amortecimento da suspensão e ao sistema de travagem combinado Dual CBS.

O modo TOUR é a definição de base e oferece conforto e potência. Este modo oferece uma relação directa de abertura a 100% entre o punho e o corpo do acelerador.

No modo SPORT, a relação é a mais alta, entre a borboleta e o acelerador e oferece acelerações fortes, com amortecimento e pressão no pedal do travão traseiro mais firmes.

O modo ECON permite obter a máxima economia e chegar facilmente à velocidade de cruzeiro, com uma relação baixa e características padrão de amortecimento e força de travagem.

Finalmente, o modo RAIN é adequado quando as condições de condução são mais complicadas por causa do pavimento molhado e escorregadio; a relação é a mais baixa, a distribuição da força de travagem assume o valor padrão e o amortecimento é macio.

Em todos estes 4 modos, o sistema HSTC de controlo de binário controla as acelerações em condições de condução escorregadias.

Neste novo modelo, temos uma única rampa de aceleração em vez da anterior rampa dupla; foram introduzidas revisões no diâmetro e na espessura do colector de admissão por motivos de poupança de peso. O volume do colector de admissão, desde a válvula de aceleração até às válvulas de admissão foi reduzido em cerca de 10%, o que aumenta a velocidade do fluxo de ar e melhora as respostas.

Há duas condutas de admissão de ar, uma de cada lado à frente. Esta estrutura gera um remoinho quando o ar é aspirado – isto resulta numa utilização muito mais eficiente de toda a área da superfície do filtro de ar e menor resistência. O formato interno das duas condutas foi optimizado de forma a ficar alinhado com os impulsos da admissão do motor a baixa rotação, melhorando as respostas e o binário com pouco acelerador.

A sonoridade e a sensibilidade do motor da Gold Wing sempre foram características típicas deste modelo. Apesar das duas ponteiras de escape manterem a estrutura interna do modelo antigo – 2 câmaras internas e uma câmara de ressonância – a lã de vidro foi removida para poupar peso.

Para complementar a sonoridade grave do motor, os escapes têm agora uma sonoridade potente, mas sem ruídos excessivos. As áreas de secção em corte dos tubos de escape foram reduzidas em 20% para dois dos seis cilindros, o que origina a mudança no volume e na profundidade do som.

O sistema ISG de alternador e motor de arranque integrados (Integrated Starter Generator) combina estes dois componentes numa só unidade; o alternador transforma-se em motor de arranque quando recebe alimentação de polaridade invertida.

O amortecedor instalado na união de acoplamento e que transmite a força de accionamento entre ambos os lados (alternador/motor de arranque) desta unidade ISG e o lado da cambota foi alterado e passou do anterior, tipo viscoso no alternador, para uma unidade mecânica, que usa uma combinação de mola de ar e borracha; isto permite reduzir o peso de todo o sistema em cerca de 2,4 kg. Os carretos que accionam o conjunto IKSG são helicoidais, para uma redução ainda maior do ruído de funcionamento do motor.

Como características-chave do sistema Idle Stop de paragem do motor ao ralenti temos um arranque ultra-silencioso do motor graças a esta unidade ISG e os arranques suaves obtidos pela combinação da caixa DCT e do acelerador electrónico TBW. Quando a moto pára nos semáforos com o sistema Idle Stop activado, o motor desliga-se automaticamente passados 3 segundos; para que recomece a trabalhar, o condutor apenas tem de acelerar.

O sistema é controlado de forma a ser aplicada antecipadamente pressão hidráulica na linha do DCT que activa a embraiagem quando o motor arranca, pelo que o atraso de quando o condutor abre o acelerador até a moto se mover é muito reduzido. Para eliminar quaisquer asperezas, a borboleta do acelerador electrónico abre gradualmente acompanhando a abertura do punho do acelerador – a nova Gold Wing exibe as acelerações suaves características deste modelo. O sistema de paragem do motor ao ralenti pode ser LIGADO ou DESLIGADO através do interruptor no punho direito.

Numa moto convencional, os arranques em subida implicam soltar os travões e, em simultâneo, abrir o acelerador e dosear a embraiagem consoante a inclinação da subida. Para facilitar o esforço nestas situações, a caixa manual da nova Gold Wing possui um assistente de arranque em subida (HSA – Hill Start Assist).

Depois de parar numa subida, se o condutor apertar mais e rapidamente a manete dos travões faz com que o modulador do ABS crie uma pressão hidráulica na pinça do travão traseiro. Depois – mesmo que o condutor já tenha largado a mante dos travões – a pressão hidráulica e, por conseguinte, a força de travagem, são mantidas temporariamente (durante cerca de 3 segundos), pelo que os arranques nestas condições exigentes ficam extremamente facilitados, bastando embraiar e acelerar. Quando o sistema está em funcionamento, o indicador HSA acende-se no painel de instrumentos para informar o condutor.

A embraiagem assistida hidraulicamente foi substituída por uma embraiagem assistida por came e com função de deslizamento (com menos discos e menor atrito hidráulico no mecanismo de engrenagem). Este novo tipo de dispositivo permite reduzir em 20% as cargas sobre a embraiagem e suavizar as reduções; o mecanismo de deslizamento também contribui para uma sensibilidade de elevada qualidade nas reduções. O mecanismo da marcha-atrás é exactamente o mesmo que na anterior Gold Wing.

 

3.4. Transmissão de Dupla Embraiagem (DCT)

  • Transmissão DCT de terceira geração com 7 velocidades
  • Mudanças mais altas e mais baixas, mais rápidas e suaves
  • Modo "Walking" permite que a moto avance ou recue muito lentamente (função creep)
  • 4 modos de condução com gestão da transmissão DCT, oferecem respostas optimizadas

A transmissão exclusiva de dupla embraiagem da Honda é um sistema que se adapta naturalmente ao motor da nova Gold Wing e a equipa de desenvolvimento teve como base o sistema DCT existente. O que vemos agora é a terceira geração do sistema e a primeira a estar equipada com 7 velocidades, especificamente concebida para as viagens de longa distância em velocidade de cruzeiro; as suas mudanças são também muito rápidas e suaves. É ainda mais leve do que a caixa manual de 5 velocidades do modelo anterior.

A caixa DCT oferece mudanças mais altas e mais baixas de forma consistente e ininterrupta e a sua utilização rapidamente se torna muito natural. São usadas duas embraiagens: uma para o arranque e para a 1ª, 3ª, 5ª e 7ª velocidades; a outra embraiagem serve a 2ª, 4ª e 6ª, velocidades, com o veio primário de cada embraiagem localizado no interior, oferecendo assim uma montagem muito compacta.

Cada embraiagem tem controlo independente pelo seu próprio circuito electro-hidráulico. Quando ocorre uma mudança, o sistema pré-selecciona a mudança seguinte através da embraiagem que não está a ser usada. Depois, a primeira embraiagem é desengrenada electronicamente, ao mesmo tempo que a segunda embraiagem engrena.

Isto resulta numa condução muito suave e confortável, com mudanças rápidas e ininterruptas. Por outro lado, como as duas embraiagens transferem a potência de uma mudança para a mudança seguinte com o mínimo de interrupção de tracção à roda traseira, isto resulta numa redução quase a zero dos níveis de choque nas trocas de velocidade, contribuindo ainda mais para a sensação de mudanças directas e suaves desta caixa. Outras vantagens incluem a alta durabilidade (porque não é possível danificar os carretos já que o sistema é automático, tornando assim impossível falhar mudanças), impossibilidade de deixar ir o motor abaixo, menos esforço do condutor na condução urbana e ainda menos cansaço para o condutor.

Na gama de baixa rotação do sistema DCT da nova Gold Wing as relações estão mais juntas, reduzindo o choque das mudanças; na gama de rotação mais elevada, as relações afastam-se mais, o que diminui a rotação do motor. Em ambas as gamas de rotação, o conforto nunca é descurado porque as mudanças, tanto mais altas, como mais baixas, são da máxima qualidade.

Durante a fase de desenvolvimento desta terceira geração da caixa DCT, a equipa de desenvolvimento resolveu o problema do ruído e do choque na troca das mudanças. A aplicação de amortecedores de borracha para efeitos de insonorização em ambas as extremidades da guia da forquilha e no braço principal permitiu reduzir muito os impactos sonoros durante as mudanças.

Há uma mola de amortecimento instalada entre a embraiagem e o veio primário que absorve o binário rotacional; isto permite reduzir o ruído e o choque provocados pelo contacto entre a embraiagem e o veio primário durante as trocas de velocidade.

A unidade DCT da nova Gold Wing possui um modo Walking (função Creep) que permite à moto deslocar-se a baixíssima velocidade accionando os interruptores +/– no punho esquerdo: para a frente a velocidade é de 1,8 km/h e para trás é de 1.2 km/h.

Relativamente à dupla estrutura tubular dos veios primários, a parte exterior do veio ligada às mudanças pares tem ligação à parte interior por intermédio de uma corrente, através dos carretos no contraveio. Esta estrutura atribui ao veio primário também funções de carreto livre da marcha-atrás, o que originou um mecanismo de marcha-atrás leve e compacto – sem necessidade de usar um veio livre para a marcha-atrás.

Ao activar o modo Walking, são usadas as duas embraiagens da caixa DCT: para trás é usada a embraiagem nº 1 e para a frente é usada a embraiagem nº 2. Desta forma, o movimento muito lento para a frente ou para trás é agora possível apenas controlando uma única embraiagem, sem necessidade de engrenar mudanças. Por outro lado, o sistema de acelerador electrónico TBW controla a velocidade através do comando com toda a precisão da capacidade das embraiagens, mas mantendo uma determinada rotação do motor e assegurando toda a capacidade de controlo e sensação de segurança nas manobras a maior distância.

Os 4 modos de condução estão interligados à transmissão DCT. Todos partilham as mesmas definições de motor, entrega de potência e binário e configuração das suspensões que no modelo com caixa manual, mas possuem parâmetros extra específicos para a caixa DCT. O modo TOUR usa a definição base para engrenar as embraiagens e as várias velocidades em modo AT, com uma gama de baixa e média rotação para as mudanças. O modo SPORT engrena as mudanças de forma muito mais directa, com as mudanças programadas para ocorrerem na faixa de média a alta rotação.

O modo ECON é mais suave ao engrenar as embraiagens, com um foco na manutenção da gama de baixa e média rotação e a sensibilidade básica nas trocas de velocidade. O modo RAIN também é suave em termos de accionamento das embraiagens, mantém o foco na manutenção da gama de baixa e média rotação e usa um padrão de mudanças mais lento em moto AT.

Disponibilidade: Sob Consulta

34 500,00 €

Seja o primeiro a analisar este produto

Etiquetas de Produtos

Utilize um espaço para separar as etiquetas. Utilize aspas simples (') para frases.