Naked
Share |

CB 1100 RS

CB 1100 RS

Informação Adicional

Motor Quatro cilindros em linha, DOHC, refrigeração por ar e óleo
Cilindrada 1.140 cm³
Potência Máxima 90CV (66 kW)/7.500 rpm (95/1/EC)
Binário Máximo 91N·m/5.500 rpm (95/1/EC)
Alimentação Injecção electrónica de combustível PGM-FI
Depósito de Combustível 16,8 litros
Embraiagem Embraiagem multi-discos, húmida
Caixa de Velocidades 6 mudanças
Transmissão Final Por corrente
Quadro Duplo-berço, em aço
Dimensões 2.180 x 800 x 1.100mm
Altura do Assento 795mm
Peso em ordem de Marcha 252kg
Suspensão frente Forquilha convencional de 43 mm com pré carga da mola ajustável
Suspensão retaguarda Dois amortecedores com afinação da pré-carga da mola
Pneu Frente 120/70-R17
Pneu Retaguarda 180/70-R17
Travão frente Dois discos 296mm e ABS de 2 canais
Travão retaguarda Um disco e ABS de 2 canais
Fabricante Honda

Actualizações do modeloA nova Honda CB1100RS oferece um carácter minimalista, desportivo e fabricado à mão, com uma geometria de ciclística mais acutilante, forquilha Showa de Dupla Válvula de Torção e 43 m de diâmetro, amortecedores traseiros de reservatório exterior, jantes de 17 polegadas em alumínio fundido e dois discos dianteiros de montagem radial e pinças de quatro êmbolos. O seu motor respira por sistemas de admissão e escape revistos e está agora equipado com uma embraiagem deslizante.

 

 

1. Introdução 

Desde 1959, quando apareceram pela primeira vez a adornar a bicilíndrica CB92 Benly, as duas letras "CB" significam muito para a Honda e para os proprietários das suas motos. E, em 1969, passaram a significar ainda mais com o lançamento da tetracilíndrica CB750, num momento seminal para o motociclismo porque a primeira superbike de produção do mundo definiu um conceito que dura até aos dias de hoje.

 Actualmente, o pensamento "old school" passou a ser considerado a nova tendência e, em 2013, a Honda introduziu a CB1100 – um modelo que já liderava as tabelas de vendas no Japão – também na Europa, para satisfazer a procura crescente por parte de um batalhão de condutores que vêem a CB de quatro cilindros e refrigeração por ar como uma peça de engenharia sem a qual não podem passar.

 Para 2017, estão disponíveis duas versões da CB1100. As recém-chegadas CB1100RS e a CB1100EX*. Cheia de carácter retro – e diversas actualizações novas – a CB1100RS oferece um novo tipo de carácter desportivo ao modelo CB1100.

*ver as informações de imprensa da CB1100EX no documento em separado.

 O modelo é fabricado nas instalações de Kumamoto, num processo de produção que foi revisto nos seus aspectos fundamentais, de forma a integrar as tecnologias e as capacidades especializadas num modelo com toda a atenção ao detalhe e pormenor, para além de um lugar na história que só vem com a passagem de muitas décadas.

 

Nas palavras de M. Imada, Líder de Grande Projecto da CB1100RS de 2017: 

 "Tal como com as CBs do passado, temos de entender o prazer intemporal que os nossos clientes retiram das suas motos de quatro cilindros refrigeradas por ar. Por isso, era muito importante conseguirmos melhorar ainda mais o carácter de "modelo de desejo" da CB1100 e aumentar-lhe as funcionalidades, numa sensação profunda de preenchimento do seu condutor. Esperamos que muitos condutores possam apreciar e compreender a estrutura de uma moto tradicional, aos comandos da nova CB1100EX.

  

 

2. Generalidades do modelo

 Reduzida ao essencial, a CB1100RS tem o aspecto de uma moto de corrida dos anos 70, com mais do que um toque de café racer. O depósito curvilíneo – fabricado sem costuras soldadas – evoca um fabrico manual e o farol redondo e o painel de instrumentos de dois mostradores denotam uma silhueta intemporal. A iluminação de LEDs traz um toque de modernidade.

 Suportada pelo estilo mais desportivo, a ciclística da CB1100RS tem uma geometria mais apurada do que a EX, com suspensões Showa mais firmes, travões dianteiros com pinças de quatro êmbolos e montagem radial, jantes de 17 polegadas em alumínio fundido e pneus desportivos. A posição de condução mais baixa e mais compacta move o condutor para a frente, complementando as alterações da ciclística.

 O motor de quatro cilindros e refrigeração por ar respira mais facilmente graças às revisões na admissão e aos dois escapes 4-2-2 mais pequenos e mais leves; a embraiagem com função de deslizamento facilita as passagens de caixa e ajuda à estabilidade da roda traseira nas reduções.

 Com um aspecto mais vivaz, a CB1100RS é a moto perfeita para atravessar a cidade ou desaparecer nas estradas recurvadas aos fins-de-semana. Este modelo possui uma engenharia requintada que prende o olhar, numa plataforma ideal para a personalização, ao sabor da imaginação.

 

3. Características principais

 

3.1 Ciclística 

 O quadro clássico da CB1100RS é uma unidade tubular, tipo berço, que apoia o motor em quatro pontos rígidos e duas fixações em borracha. A geometria da direcção é mais "apertada" do que a da CB1100EX, com a coluna da direcção inclinada a 26° (EX = 27°) e eixo de arraste (trail) de 99 mm (EX = 114 mm); a distância entre eixos é agora de 1.485 mm (EX = 1.490 mm), para uma direcção mais rápida e uma condução mais responsiva. O banco tem 795 mm com peso em ordem de marcha de 252Kg.

 Com posição de condução e aspecto mais agressivo, a CB1100RS também está equipada com uma forquilha dianteira Showa de Dupla Válvula de Torção (SDBV) e 43 mm de diâmetro, que recorre a duas válvulas para gerar a força de amortecimento em compressão e em extensão, oferecendo uma condução excelente e estabilidade de precisão. A nova mesa de direcção superior é em alumínio fundido e tem acabamento escovado e camada translúcida; a mesa inferior mantém as colunas da forquilha numa posição mais elevada.

 Os dois amortecedores traseiros com reservatório exterior (e com relações de amortecimento que complementam a forquilha dianteira) também são unidades Showa, oferecem afinação da pré-carga e funcionam em cima de um novo braço oscilante em alumínio; todo o sistema está agora melhor arranjado graças à passagem do tubo de travão pela parte inferior do braço oscilante. A protecção da corrente é em alumínio e vem substituir a anterior em plástico.

 A travagem dianteira fica a cargo de um par de pinças Tokico de quatro êmbolos que actuam em discos flutuantes de 310mm com funcionalidade ABS; atrás, o sistema é complementado por um disco de 256 mm e uma pinça de um êmbolo. A CB1100RS tem jantes de 17 polegadas em alumínio fundido – com acabamentos em preto – e pneus desportivos de tamanho 120/70ZR17 à frente e 180/55ZR17 atrás. São imediatamente óbvios três efeitos destas alterações: uma direcção mais rápida, melhor aderência nas curvas e mais 3% de aceleração obtidos pela alteração geral nas relações de transmissão à custa do menor diâmetro de rolamento do pneu traseiro. As válvulas de enchimento em L facilitam o processo de verificação da pressão dos pneus.

 Juntamente com o aspecto "exposto" do motor, o formato do depósito de combustível – as suas curvas e linhas – contribui muito para dar a uma moto naked todo seu carácter e toda a sua atracção e os engenheiros da Honda mantiveram a autonomia superior a 300 km, mas centraram agora as suas atenções para que o depósito tivesse uma aparência de ter sido verdadeiramente fabricado à mão. 

 O depósito, com capacidade para 16,8L, dispensa as costuras por bordos soldados ao longo das arestas inferiores e presta homenagem à história dos modelos CB e ao estilo contemporâneo com uma secção traseira cortada que deixa o condutor ver a tampa das válvulas. A tampa "tipo avião" do depósito acrescenta mais um toque de classe.

 Aumentando o aspecto de moto café racer, os painéis laterais são em alumínio escovado com acabamento texturado fino; o banco é esguio e de perfil desportivo. As calhas pretas do banco, as linhas sem costuras nem interrupções e o guarda-lamas traseiro, também em preto, compõem uma traseira agora mais arredondada.

 O guarda-lamas dianteiro é compacto e fabricado em resina, protegendo o que está atrás da roda dianteira e complementando o design minimalista da moto. O descanso lateral mais comprido facilita a colocação da moto em posição vertical.

 O guiador está 7 mm mais para a frente (em comparação com o design anterior) e os poisa-pés do condutor e do passageiro estão montados em suportes mais compactos e esguios fabricados em alumínio fundido. O farol dianteiro, em posição de destaque – uma unidade de LEDs com luz de presença em espiral – encima a frente da CB1100RS com os seus suportes também em alumínio e é flanqueado por piscas de direcção compactos de LEDs. 

 O farolim e os piscas de direcção traseiros, bem como o suporte da chapa da matrícula, são todos de LEDs e foram reduzidos ao mínimo, oferecendo agora um aspecto mais aerodinâmico; o velocímetro e o conta-rotações são circulares e pretos, emoldurados numa peça cromada. O painel de instrumentos inclui indicador de nível de combustível, um relógio, indicador de mudança engrenada e computador de consumos e autonomia. Agora, a chave da ignição é do tipo ondulado.

 A CB1100RS vai estar à disponível em Vermelho Candy Prominence e Preto Graphite, em acabamentos super-suaves, sugestivos de um polimento fastidioso e repetido.

 

 

3.2 Motor 

 O coração da CB1100RS apresenta um motor DOHC super-suave. Este motor tem tudo a ver com entrega linear e instantânea da potência e do binário, abundantes em todas as gamas de rotação. O pico de potência é de 90CV (66kW) às 7,500rpm e o pico de binário é de 91N·m às 5,500rpm

 Com acabamentos a preto, e tampas do motor e das válvulas em alumínio, o motor de refrigeração por ar (via alhetas de 2mm) e por óleo (via arrefecedor de 9 níveis e 335mm montado à frente), atinge as 8.500rpm. A relação de compressão é de 9,5:1, com diâmetro e curso de 73,5 mm x 67,2 mm.

 As duas árvores de cames são comandadas por uma corrente central e as válvulas da admissão e do escape estão inclinadas a 26,5°. As válvulas do motor têm diâmetros de 27 mm na admissão (com hastes de 2,5 mm) e 24 mm no escape (também com hastes de 2,5 mm). Um único veio de equilibragem secundário assegura um funcionamento suave. 

 O sistema PGM-FI e a rampa de injecção de um só corpo e 32 mm recebem o ar do conjunto de admissão de ar, revisto e encurtado, agora com novo elemento de filtragem, complementados por dois silenciadores de escape cromados e 70 mm mais curtos, com 7% menos de diâmetro e 2,4 Kg mais leves do que as unidades anteriores, permitindo aumentar as reacções do motor nas gamas de baixa e média rotação. 

 Com uma divisão interna em duas câmaras de expansão no interior de cada escape, cada silenciador possui ligação dupla e está optimizado em termos de ressonância, produzindo uma sonoridade verdadeiramente característica das máquinas tetra cilíndricas de outrora. Os silenciadores como que "abraçam" a moto de forma mais apertada, melhorando a altura ao solo e os colectores têm paredes duplas que evitam a descoloração por acção do calor.

 A embraiagem possui agora uma função de deslizamento. A came e o patim são em alumínio e permitem poupar peso, reduzindo o esforço na manete em 16% e minimizando o efeito de "saltar" da roda traseira nas situações de travagem com o motor, aquando das reduções rápidas na caixa de velocidades. A caixa de seis velocidades de relações cuidadosamente seleccionadas entre a 1ª e a 5ª oferecem acelerações e respostas vivas; a 6ª é uma mudança de "overdrive" para reduzir os consumos de combustível e baixar a rotação do motor nas vias rápidas. A transmissão final é realizada por uma corrente 530.

 O motor da CB1100RS cumpre a norma EURO4.

Disponibilidade: Sob Consulta

13 650,00 €

Seja o primeiro a analisar este produto

Etiquetas de Produtos

Utilize um espaço para separar as etiquetas. Utilize aspas simples (') para frases.