Novos
Share |

SH 125i ABS Topcase

SH 125i ABS Topcase

Informação Adicional

Motor Monocilíndrico a 4 tempos SOHC
Cilindrada 125cm³
Potência Máxima 11,9 CV / 8.500 rpm
Binário Máximo 11 Nm / 6.500 rpm
Alimentação Pgm-FI Injecção electrónica de combustível
Depósito de Combustível 7,5 Litros
Embraiagem Automática, centrifuga
Caixa de Velocidades V-Matic
Transmissão Final V-belt
Quadro Tubular em aço tipo berço
Dimensões 2.030 x 740 x 1.150 mm
Altura do Assento 799 mm
Peso em ordem de Marcha 134 kg (FR.: 51kg; TR.: 83 kg)/versão ABS 135Kg (FR.:52Kg; TR.: 83Kg)
Suspensão frente 33 mm forquilha telescópica, curso de 89mm
Suspensão retaguarda Unidade de braço oscilante com duplo amortecedor, curso de 83 mm
Pneu Frente 100/80-16 (50P)
Pneu Retaguarda 120/80-16 (60P)
Travão frente Disco de 240 mm x 4mm com pinça combinada de 3 pistões (CBS) / com pinça combinada de 2 pistões (ABS)
Travão retaguarda Disco de 240 mm x 5mm com pinça combinada de 1 pistão
Fabricante Honda
Introdução
A família SH das scooters Honda, que teve início em 1984 com a humilde SH50, tornou-se, hoje, numa marca por direito próprio, tendo vendido mais de 1 milhão de unidades na Europa. A SH125 original a quatro tempos, introduzida em 2001, foi, inicialmente, pensada pela Honda para ser uma moto de âmbito global, e a Europa correspondeu de imediato com um grande um sucesso de vendas graças à excelente combinação entre motor e desempenho, com reduzido consumo, agilidade, estabilidade e segurança, tudo realçado pelas jantes de 16 polegadas. Sempre em constante evolução – a SH125i de 2005 passou a estar equipada com o sistema PGM-FI de injecção de combustível – ao longo da última década, a SH passou a representar a opção preferida, em termos de transporte urbano, para centenas de milhares de pessoas. O conhecimento adquirido pela Honda no desenvolvimento de uma moto tão útil para tantos utilizadores e que desde cedo permitiu criar um conceito de scooter com a dose perfeita de tudo o que é necessário: estilo, fiabilidade, economia e utilidade pura. Hoje em dia, quer seja nos parques de estacionamento ou a percorrer as ruas das cidades e vilas da Europa, podemos encontrar imensas SH125: em 2011, com 12.938 unidades colocadas no mercado, foi uma das motos mais vendidas no velho continente. Todos os dias, este modelo transporta pessoas para o trabalho, escola, lojas ou para qualquer outro lado. Com tudo isto, a SH125 tornou-se parte do dia-a-dia das pessoas, tornando-se indispensável para as suas vidas.
Generalidades do Modelo
Durante o desenvolvimento do design da nova geração da SH125i, os engenheiros da Honda foram confrontados com um facto interessante: o modelo existente - a fórmula actual era tão bem comprovada, e tão bem sucedida, que conseguir desenvolvimentos genuínos poderia representar um desafio. Teria de ser um modelo totalmente novo, com continuação da produção na fábrica italiana da Honda em Atessa, com três objectivos definidos desde logo pela equipa de desenvolvimento: 1) A melhor economia da sua classe e a performance ambiental mais eficaz. 2) Design de elevada qualidade, tanto em termos de estilo, como de funcionalidade, com uma identidade visual distinta para elevado orgulho de propriedade. 3) Nível de equipamento e especificação superiores à média, a um preço muito competitivo. No coração da nova SH125i, reside o seu novo motor, com a sigla "eSP" (enhanced Smart Power - Potência Inteligente e melhorada); construído de raiz e recorrendo a tecnologias de baixo atrito e equipado com o sistema Idling-Stop de paragem ao ralenti, esta unidade é 25% mais eficiente em comparação directa com o anterior modelo (2,1lts/ 100 km). A reprogramação do sistema PGM-FI de injecção de combustível e a melhor combustão também permitem obter melhor potência e binário real, na gama de rotações mais usada na condução urbana. A ciclística, totalmente revista, com rodas de 16 polegadas – oferece melhor maneabilidade e estabilidade, um conjunto de travões equipado de origem com o sistema CBS (Combined Brake System - Sistema de Travagem Combinada), sendo o ABS, agora, opcional. Acabado de sair do estirador, o quadro da SH125i detém uma configuração forte e única – esguio o suficiente para furar o trânsito mais denso – agora, com capacidade para guardar um capacete integral debaixo do banco. No total, há 20 patentes novas para o motor e o quadro da SH125i, testemunhando a importância deste modelo e o empenho que a equipa de desenvolvimento dedicou, com novas linhas de pensamento, a esta nova scooter. Não apenas para a Honda, mas sobretudo para quem a vai conduzir. " A Rainha das Scooter na Europa: a SH125i"
Estilo
As linhas fluidas da SH125i são uma evolução subtil, mas substancial. O tema seguido pelos engenheiros de design da Honda foi "beleza funcional = formato confortável e amigo do utilizador". Por outras palavras, a scooter teria de ter boa aparência, mas também um design funcional, retendo a aparência distinta das scooters da família SH. A posição de condução super-natural, com excelente protecção, contra os elementos atmosféricos à parte superior do corpo, em posição de condução vertical, garante conforto ao condutor, enquanto o piso plano assegura uma amplo grau de liberdade para a colocação dos pés. Muitas das deslocações pela cidade serão feitas com um passageiro, pelo que a SH125i possui espaço de sobra para dois; os poisa-pés retrácteis, para o pendura, recolhem quando não estiverem a ser usados e oferecem uma plataforma estável para os pés do passageiro – especialmente em travagem – quando necessário. O banco plano oferece bastante suporte e espaço para o passageiro se acomodar; o seu formato cuidadosamente contornado, juntamente com o estrado esguio, facilitam o acesso dos pés ao chão. O banco tem 799 mm de altura. De perfil, a SH125i é simples, mas muito elegante, dando-lhe uma aparência exclusiva e muito própria. A sua nova e expressiva "face" foi formada através da utilização de um farol distinto e compacto de quatro lentes. Agora, com o radiador a ser parte integral do motor (em vez de estar montado na frente da scooter), a equipa de design conseguiu mais liberdade para trabalhar. A vista lateral apresenta uma linha dinâmica que progride para um rebordo na traseira, sublinhado por um logótipo 3D brilhante e gravado, que acentua na perfeição a qualidade e o intento da SH125i. O farolim traseiro, com dupla superfície emissora de luz, acrescenta carácter individual e oferece melhor visibilidade. Tal como definido no plano de desenvolvimento para este modelo, o formato teria de estar integrado com a funcionalidade e para o conseguir, até nos mais pequenos detalhes, aqueles que nos facilitam a vida, se revestem de uma importância extrema. O porta-luvas dianteiro, montado à esquerda, oferece uma área útil e de fácil acesso para transportar pequenos objectos, enquanto o super-importante gancho para sacos permite o transporte em total segurança. O velocímetro é grande e de elevada visibilidade, com uma agulha que varre todo o mostrador quando se liga a ignição. Os indicadores analógicos também são usados neste modelo, sob a forma de mostradores do nível do combustível e da temperatura do líquido de refrigeração do motor, tornando fácil e rápida a sua leitura. Há um par de porta-capacetes colocados de cada lado, na parte dianteira do compartimento debaixo do banco, compartimento esse que, agora, consegue albergar um capacete integral. O grande porta-bagagens traseiro – fabricado em resina super-resistente – permite a instalação de uma top case (também pode ser usado com a top case do modelo anterior). O depósito do combustível tem 7,5 litros de capacidade, oferecendo uma autonomia topo-de-classe, quando combinado com a melhor eficiência de combustível do novo motor.
Ciclística
Para maior capacidade de carga – suficiente para acomodar um capacete integral – mas sem acrescentar volume à SH125i, o quadro tubular fabricado em aço de elevada resistência recorre a uma trave central, que liga de forma ordenada as partes dianteira e traseira do quadro. Esta trave vem substituir a chapa de reforço convencional usada no anterior design e contribui para uma redução de 1 kg no peso do quadro, em comparação com o modelo anterior. Optimizado em termos de rigidez e durabilidade, os reforços do quadro são complementados pelas novas jantes fundidas de liga leve, com 10 raios ultra-finos (em vez de cinco) e pneus tubeless. Sempre um ponto-chave para o comportamento seguro e estável da SH125i numa variedade de superfícies de estrada, o diâmetro das rodas continua a ser de 16 polegadas, enquanto a distância entre eixos é compacta, medindo 1.340 mm. A gama de afinação da pré-carga para o amortecedor traseiro foi aumentada de três para cinco posições, dando ao condutor maior escolha de afinações, especialmente quando transportar um passageiro. A forquilha telescópica dianteira, com 100 mm de curso, assegura excelente aderência à estrada e foi afinada para oferecer uma condução suave mas controlada. Um dos pontos-chave deste novo modelo é a disponibilidade do sistema ABS (Sistema de Travões Anti-bloqueio) como opção nos discos dianteiro e traseiro de 240 mm da SH125i, trabalhando em conjunto com o sistema CBS (Combined Brake System - Sistema de Travagem Combinada) de origem. Isto melhora a segurança e a confiança a seco e no molhado, acrescentando valor e benefício real ao utilizador.
Motor
O desenvolvimento da geração seguinte do motor Honda de 2 válvulas a quatro tempos e refrigeração líquida centrou-se na obtenção de uma unidade de longa duração que fosse fisicamente mais pequena e mais económica de produzir, mas que também apresentasse melhores performances e, por intermédio da sua melhor eficiência de combustível, também passasse uma mensagem ambientalmente positiva. Tal motor também teria de disponibilizar potência suficiente para quando o condutor mais precisasse – a baixa e média rotação – e ser, ainda, de funcionamento silencioso. A centralização das massas desempenhou um papel preponderante. O radiador, em vez de estar montado à frente da moto, foi incorporado no próprio motor, contribuindo para um layout muito mais simples e leve (permitindo poupar quase 1 kg de peso), para além de mais eficiente. O motor de arranque/alternador controlado electronicamente combina o arranque do motor e a produção de electricidade numa única unidade, eliminando o sistema convencional de motor eléctrico e carretos. Outras acções suplementares de consolidação dos componentes do motor produziram uma redução líquida de 20% nesses componentes, poupando no peso e nos custos de produção. Um dos pontos fundamentais para a economia de combustível desta unidade é a inclusão da tecnologia Idling Stop de paragem do motor ao ralenti. Este sistema é controlado por um interruptor colocado no punho direito e, quando activado, pára automaticamente o motor da scooter quando esta fica três segundos ao ralenti; quando condutor roda o acelerador, o motor volta a arrancar instantaneamente. O funcionamento deste sistema é ininterrupto, graças ao sistema "swing-back" de retorno, que recoloca a cambota em posição antes do tempo de admissão e de um mecanismo de descompressão que elimina a resistência da cambota criada pela compressão do motor. A câmara de combustão compacta do motor, alimentada de forma precisa pelo revisto sistema PGM-FI de injecção de combustível, complementa a velocidade da queima e a performance de refrigeração, originando uma entrega de binário de características perfeitamente adaptadas às condições de condução urbanas. A abertura da admissão do ar é extremamente suave, facilitando ainda mais os fluxos gasosos dentro do motor, enquanto o ponto de ignição optimizado se combina com a refrigeração eficiente oferecida, pela camisa de água e pelo radiador, à câmara de combustão para melhorar a resistência do motor ao "grilar". Para tirar o maior partido da centralização das massas do motor, da redução dos componentes individuais e do sistema Idling Stop, foram incorporadas internamente uma vasta gama de tecnologias de baixo atrito; • O cilindro descentrado reduz a fricção provocada pelo contacto entre o pistão e o cilindro. O pistão tem menor peso através da utilização de tecnologia CAE (Computer Aided Engineering - Engenharia Assistida por Computador). • A superfície exterior da camisa do cilindro usa estrias diminutas para reduzir o consumo de óleo e melhorar a refrigeração. • O veio dos balanceiros usa rolamento de agulhas do tipo casquilho, reduzindo a fricção, enquanto os roletes, agora mais pequenos e mais leves, trabalham em conjunto com a árvore de cames de perfil optimizado e molas de válvula de carga aperfeiçoada. • O núcleo do radiador de elevada eficiência de refrigeração permite usar uma ventoinha mais pequena e mais leve na traseira do radiador, reduzindo as perdas friccionais. • Modificações internas no cárter da transmissão reduziram as perdas por agitação do óleo e a capacidade de óleo foi reduzida em 36%, em relação aos modelos actuais de 125 cm³. • A resistência ao rolamento dentro da unidade de transmissão foi reduzida com a utilização de três bronzes principais, todos concebidos exclusivamente para lidarem com as respectivas cargas individuais.
Acessórios
Os acessórios da SH125i foram desenvolvidos no design da própria scooter, para maior integração e uma aparência coesa. Disponíveis como extras encontramos: uma top case, com linhas de estilo retiradas da frente da scooter e um pára-brisas com protecções para os punhos, que oferecem maior protecção contra os elementos atmosféricos. Todos eles complementam na perfeição as linhas fluidas da scooter.

Disponibilidade: Sob Consulta

3 600,00 €
  • Comparar
  • */ ?>

    Seja o primeiro a analisar este produto

    * Campos obrigatórios

    3 600,00 €

    Etiquetas de Produtos

    Utilize um espaço para separar as etiquetas. Utilize aspas simples (') para frases.